Bio Cursos

| 23/09/2019

Fisioterapia é aliada na reabilitação do câncer de mama

Gomos de Laranja

Fisioterapia é aliada na reabilitação do câncer de mama

Atualmente, o câncer de mama é a segunda doença mais frequente no mundo e a primeira no Brasil, correspondendo a uma das principais causas de óbitos no país. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma a cada 12 mulheres terão um tumor nas mamas até os 90 anos de idade.

Responsável em promover a reabilitação de pacientes e estimular sua retomada as atividades diárias, a fisioterapia, tem desenvolvido um importante papel na recuperação de pacientes oncológicos e se mostra como um suporte fundamental para mulheres que removeram tumores, independentemente do porte ou do tipo de cirurgia realizada. Trata-se de uma intervenção que contribui decisivamente para evitar complicações, acelerar a recuperação e melhorar a qualidade de vida das pacientes.

A fisioterapia se mostra relevante em todas as fases do tratamento do câncer de mama, no pré-tratamento, durante o diagnóstico e a avaliação e tratamento, ao longo da quimioterapia, radioterapia, cirurgia e hormonioterapia e após o tratamento, no reaparecimento da doença e nos cuidados paliativos. Em cada uma dessas fases, é necessário conhecer e identificar as necessidades do paciente, os sintomas, suas causas e o impacto desses nas atividades de vida diária.

O fisioterapeuta pode utilizar-se de várias técnicas e métodos para alcançar seus objetivos, que incluem: manobras de drenagem linfática manual, exercícios respiratórios, exercícios de alongamento global e fortalecimento muscular como no pilates, além de movimentos de facilitação neuromuscular proprioceptiva e atividades funcionais. Pode-se ainda aplicar reeducação postural global (RPG) para melhorar a postura. Os recursos analgésicos (Tens, crioterapia, mobilização passiva, técnicas de relaxamento muscular) complementam o tratamento fisioterapêutico.



Por Larissa Lara

Assessoria de Comunicação Bio Cursos





Nossos Parceiros

logo_HTM