Bio Cursos

| 08/08/2017 15:29

Rodrigo Dispato: Sistema reúne técnicas para melhor recuperação álgica do paciente

Bio Cursos entrevista:
Rodrigo Dispato
Tema: Sistema reúne técnicas para melhor recuperação álgica do paciente

Fisioterapeuta, Criador e Diretor Geral do Sistema TAFAR (Terapia Analgésica de Funcional de Ação Rápida); Especialista em Fisiologia do Exercício pelas Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul (FISA); Doutorando em Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP); Formação Internacional em Terapia Manual e Postural pela Escola de Terapia Manual e Postural e pela Orthopaedic Medicine International (OMI - Bélgica); Formação Internacional em Estabilização da Coluna Vertebral (Spinal Stabilization) pela St. Augustine University (EUA); Formação Internacional em Equilíbrio Neuro Muscular (ENM) / Método François Soulier (França) pela Escola de Terapia Manual e Postural;

1) - Como é feita a anamnese para determinar qual o melhor procedimento dentro da TAFAR que será aplicado no paciente?
Rodrigo Dispato: O processo é centrado na execução de um sistema próprio chamado: Avaliação Musculoesquelética Álgica Disfuncional Analítica – AMADA. É baseado numa avaliação tipo questionário, por "score" ou pontuação, onde são avaliados contextos típicos relacionados à dor e ao final do processo teremos a pontuação atingida pelo paciente, desse modo, quanto maior a nota final, mais complexa é a dor e maior será a necessidade de executar programas terapêuticos multidirecionais. Na sequência são realizados testes funcionais e clínicos para compreender o nível de percepção da dor pelo paciente, o comprometimento associado a ela, suas "red flags" (bandeiras vermelhas – cuidados e precauções) e o tipo de direcionamento terapêutico para uma intervenção específica. A TAFAR trabalha em 3 níveis: intervenção base, complementar e ancoragem de resultados.

2) - Em média são realizadas quantas sessões? Ou procura-se o profissional somente quando houver queixa de dor?
Rodrigo Dispato: O Sistema terapêutico é de natureza clínica e trabalha com evidências subjetivas, objetivas, quantitativas e qualitativas a respeito do alívio obtido. Trabalhamos os casos de crises de dor e agravamento dos quadros, onde buscamos em uma única intervenção 100% de alívio do sintoma ou o maior alívio que o paciente tenha sentido na vida com relação à dor que apresenta antes da TAFAR.

3) - Como surgiu a técnica TAFAR? Ela foi pensada para tratar quais necessidades dos pacientes?
Rodrigo Dispato: Ela surgiu natural e intuitivamente, tendo em vista minha linha de formação profissional em técnicas com direcionamento a analgesia, além disso a confiança no processo considerando a minha experiência clínica em atender cerca de 3 a 4 mil casos de dor ao longo de 18 anos de carreira, tanto em pessoas comuns, idosos, crianças, quanto atletas e pessoas portadoras de deficiência física. A TAFAR considera proporcionar atenção terapêutica de alta complexidade em casos de dor de um modo geral e principalmente os casos que não retrocederam com tratamentos tradicionais ou conservadores.

4) - O TAFAR somente alivia a dor ou também trata doenças?
Rodrigo Dispato: A TAFAR trata os sintomas de dor e as disfunções relacionadas a dor, também atua de modo preventivo e profilático para as variáveis relacionadas a dor que possuam caráter irreversível através de indicações de outros tratamentos adequados e/ou complementares.

5) - Qual o diferencial desta técnica relacionada a outras que buscam alívio rápido da dor? E das vantagens e retornos ao profissional que deseja fazer o curso de TAFAR?
Rodrigo Dispato: Existe um limite fisiológico determinado pelo sistema nervoso e nociceptivo que quando explorado adequadamente promove potentes e efetivas reações vasculares, metabólicas e importantes liberações de opióides endógenos promovendo um novo equilíbrio funcional dos tecidos tratados e alívio imediato da dor. A TAFAR utiliza recursos técnicos que exploram terapeuticamente esses limites, com conhecimento específico que vai além das formações tradicionais e é exatamente isso que cria a perspectiva de alívio total ou o maior alívio sentido pelo paciente em apenas 1 sessão. As vantagens se dão por 2 aspectos fundamentais:
- Possuir uma identificação específica perante a atuação profissional e assim direcionar um melhor e maior reconhecimento por parte da sociedade para uma linha de atuação que foca o resultado de analgesia e não as técnicas utilizadas; as técnicas são meios, porém o que o cliente precisa saber é o que ele está comprando, assim o cliente não compra técnicas e sim os resultados, então a Terapia Analgésica Funcional de Ação Rápida deixa claro o que é e como se quer entregar o produto ao cliente; As pessoas não levam pra casa a técnica A, B ou C, quem compra isso é o fisioterapeuta, o paciente leva pra casa o resultado, além disso, segundo a Sociedade Brasileira de Estudos da Dor – SBED, são cerca de 80 milhões de brasileiros portadores de dor crônica, mostrando que a demanda é alta para profissionais que focam o resultado de analgesia em seus tratamentos.
- Criar credibilidade imediata com o cliente ao atingir em uma sessão 100% de alívio ou a maior experiência analgésica vivenciada pelo paciente em 1 única sessão; esse contexto de excelência possibilita que se crie uma perspectiva de remuneração muito maior, fazendo que o profissional migre de um cenário de ganho por quantidade para um ganho muito maior, pautado na qualidade, com base no atendimento individual e particular; muitos podem perguntar como vou encher minha agenda? Simples, basta atender o primeiro paciente e chegar aos resultados de 100% de alívio ou o maior alívio sentido pela pessoa na vida que terá início outro processo natural, chamado marketing espontâneo, onde o cliente satisfeito e "encantado" com a abordagem, estatisticamente, traz em média mais 4 clientes por indicação, tendo início uma reação em cadeia prospectiva.
Sempre existem pessoas que reconhecem, valorizam e investem no que é bom e tem qualidade superior, o que precisa existir são mais profissionais que queiram estar no nível de valorização e consumo das pessoas citadas acima, mas para isso esses profissionais precisam mudar seu modo de pensar e agir.


Por
Paloma Nascimento
Assessoria de Comunicação Bio Cursos

Nossos Parceiros

logo_HTM